Buscas de sentido

(R. C. Migliorini)

co

Há algum tempo escrevi um livro chamado Curadores Feridos e outros frankensteins: quinze apostas nos opostos. Embora ele tratasse da relação entre arte e saúde a questão religiosa também se encontrava ali.

A presença de um assunto aparentemente alheio à cura e à saúde, ou tido como algo que delas participa apenas de modo “piegas”, se justificava porque na época eu fazia um mestrado em Ciências da Religião, de modo que muito dos textos que eu lia eram dessa área. Porém, também havia outras questões, a saber:

A religião representava e ainda representa uma busca de sentido para o ser humano. Hoje, grande parte desse espaço foi ocupado pela ciência. E ninguém deseja a volta de uma igreja onipresente e obscurantista. Contudo, também caminham ao lado desse comportamento conservador ao extremo, grandes insights sobre a natureza humana que merecem ser levados em conta pelas pessoas da área de saúde, em especial, por aquelas que atuam nos espaços em comuns entre a natureza humana e a biológica.

Outro aspecto digno de nota, é que a própria palavra salvação pode ser traduzida por cura em referência a um contexto mais holístico existente na antiguidade, em que a doença física era tida como uma desarmonia de variados aspectos. Ademais, como em outras religiões, no cristianismo religião e saúde estão intimamente imbricadas, tanto que Cristo também é conhecido como o médico de almas.

Assuntos como personagens que nasceram de religiões e realizam curas, tais como benzedeiras, xamãs, pajés, pais e mães de santo e os próprios santos; crenças em entidades de cura, rituais religiosos com o mesmo fim, peregrinações a locais de cura, ex-votos, a relação entre fé e crença religiosa e cura, a presença de capelães em hospitais, bem como questões como morte, luto e ritos mortuários, são tão pertinentes para as ciências que estudam religiões quanto para aquelas relacionadas à saúde.

Em suma, em seu aspecto negativo, coloco a religião sob suspeita. Não obstante, assim como no livro, em seu aspecto positivo tampouco vejo razão para não tratar do assunto nos textos que publico aqui, até porque, além de coerente com as minhas experiências de vida, considero que a pessoa verdadeiramente religiosa ouve sem julgar. Postura essa que, creio eu, se aplica aos que compartilham do sentimento religioso em si, mesmo quando não adeptos de religião alguma.

2 pensamentos sobre “Buscas de sentido

  1. Obrigado por seu coment�rio, Dirce. Voc� tem total raz�o no que diz sobre a rela��o f� e cura. Certa vez ouvi uma entrevista da escritora Raquel de Queir�s. Apesar dos seus textos serem bastante religiosos, ela se dizia agn�stica. No entanto, reconhecia o poder da f� e lamentava n�o conseguir acreditar em um ser superior. Disse que se acreditasse, isso a teria ajudado a elaborar a morte de sua filha.

  2. Apesar de tentar fazer uma tentativa de relacionar : fé religiosa e doença x cura , achei o texto pouco produtivo . Pra mim , que já tive câncer e vivenciei durante uma existência a experiência de tratar de doentes , a fé resulta numa manifestação que interfere consideravelmente na ”cura” . Pacientes totalmente desapegados à uma crença ( qq que seja ) , morriam mais rápido e sofriam muito mais , do que aqueles que praticavam alguma devoção . Inclusive na recuperação de cirurgias graves , esses , tinham maior êxito ; tem algo a mais , e a ciência vem tentando explicar essa relação e resultados do comportamento de pessoas . Por isso , achei que o texto poderia render muito mais… O comportamento diante da fé , constrói ou produz enzimas que levam à uma região de maior conforto e de menos sofreguidão !

Escreva aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s