Arquivo de Tag | salvação

A psicanálise e o aconselhamento cristão

cristãoO cristianismo na psicanálise

(Padre Jeferson Luis Leme)

Texto bíblico: Evangelho de Marcos: Mc 12, 13-17.

Participar desse blog e escrever sobre o cristianismo dentro da psicanálise é muito importante pra todos nós, pelo fato que podemos ter outra visão sobre a fé numa perspectiva psicanalítica. Acredito que será de uma riqueza tremenda pra todos nós termos outro parâmetro para o nosso amadurecimento nas relações pessoais e sociais. Espero como padre e psicanalista contribuir bastante.

Os fariseus procuram pegar Jesus em algum engano. Empregando uma frase clássica, “dá-se mal quem se julga esperto”, os que queriam levantar dificuldades para Jesus acabam emaranhados em suas próprias armadilhas e em seus próprios problemas. A lição para nós é que, se nos aproximarmos de Jesus, mais vale fazê-lo com a verdade na mão e com o coração sincero. Porque o que está em jogo não é uma discussão teológica, mas sim nossa salvação.

Por isso, que à questão posta pelos fariseus, que tinha cunho político (v 14), Jesus responde com uma pergunta, esquema próprio dos diálogos didáticos: “De quem é esta figura?”. Deus não está em concorrência com as coisas deste mundo: “Devolvei, pois, a Cesar o que é de Cesar…” (v 17). Nossa perícope fala de imagem de Deus (cf. Gn 1,26-27); a inscrição pode se referir à Lei inscrita no coração (Jr 31,33; Pr 7,3). Portanto o que é de Deus (v 17) é o ser humano, portador da imagem de Deus e de sua Lei.

Reflexão psicanalista: Quando Jesus responde “Devolvei, pois, a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus”, é um discernimento a cerca das nossas estruturas egocêntricas e empáticas que carregamos em nossas vidas. Jesus nos ensina a buscar o equilíbrio de nossas ações, pois quando devolvemos a Cesar, estamos permanecendo egocêntricos, e quando devolvemos pra Deus, buscando o equilíbrio, ou seja, a empatia. É fundamental em nossas vidas procurar vivenciar os ensinamentos que Jesus nos deixou, pois nos leva a realização plena de nossa vida.

Sendo imagem de Deus, devemos sempre buscar as compreensões dos porquês, isto é, amando mesmo não gostando, negociando e enfrentando as nossas tendências. Com certeza tendo essas atitudes diante da vida, Deus nos fortalece com seu Espírito.