Arquivo de Tag | vagina

Vaginismo

(Paulo Jacob)

vaginismo

Olá!

Hoje vou falar com vocês sobre um problema que atinge muitas mulheres, o vaginismo.

Podemos definir o vaginismo como um espasmo involuntário dos músculos da região da vagina, causando o fechamento da entrada da vagina, ou seja, mulheres que tem vaginismo não conseguem ter relações sexuais, pois a dor que sentem com a penetração do pênis é muito grande.

As causas para que isso aconteça podem ser físicas e não-físicas. As físicas seriam problemas de saúde, parto normal e consequências, mudanças hormonais (com a idade) etc.

Dentre as não-físicas podemos citar ansiedade e estresse, traumas de abuso sexual, problemas de relacionamento (desconfiança do parceiro, ou do novo parceiro) e educação rígida, entre outros.

No consultório vejo como a educação rígida dos pais (e também a religião) com as meninas, que relacionam o sexo como algo ruim, sujo, pecado, e acabam futuramente causando problemas como o vaginismo nas mulheres. Quantas de vocês não ouviram quando criança ou adolescente, que por inocência (ou não..) se tocavam, descobrindo o  seu órgão genital, e foram condenadas por estarem agindo dessa maneira?

Aí quando surge uma oportunidade de sentir prazer, vem uma culpa recalcada que na maioria das vezes as pessoas não lembram, e que causa esse fechamento da vagina, impedindo da pessoa ter relações.

Uma das maneiras de se resolver é fazer com que a pessoa entenda que hoje ela não é mais aquela criança, que ela não precisa ter mais medo de nada, e muito menos culpa! Que hoje ela é uma mulher, que gosta sim de sentir prazer, e que ela irá se dar a oportunidade de ter relações sexuais com penetração! Existem outras formas de se tratar isso, dependendo do quanto isso está enraizado no inconsciente da pessoa, mas o início é o que citei acima.

Desconsiderar os fatores físicos no problema do vaginismo seria um erro, mas quando uma mulher chega no consultório, e fala que já foi ao médico, fez exames e que nada foi encontrado, aí o problema sem dúvida é psicológico. E mesmo que exista algo físico, até que ponto esse problema não foi causado pelo psicológico da pessoa? Então, o acompanhamento de um terapeuta auxilia e muito na solução desse problema. É o mesmo caso em relação aos problemas masculinos de ereção e ejaculação precoce, mas isso eu vou escrever um outro dia.

O nosso inconsciente age no nosso consciente muito mais do que imaginamos, então se existe algo que está causando isso, não serão tratamento mágicos que são vendidos no mercado que irão resolver isso. De nada adianta tratar do sintoma, se a causa que criou isso não for descoberta.

Tenham uma ótima semana!

Falando sobre a virgindade

(Paulo Jacob)

virgem

Pensando em alguns temas para escrever aqui no blog, me veio à cabeça falar sobre a virgindade e os tabus que existem sobre esse assunto. É engraçado, pois falar sobre sexualidade, em um blog que o tema tem a ver com a psicanálise, pode pressupor que todas as pessoas que estão lendo esse texto, já perderam a sua virgindade, e isso pode não ser uma verdade.

O tabu sobre a virgindade sempre foi em relação a mulher. Ela tinha ( ou tem?) que se guardar para o seu “príncipe encantado”, para que no dia do seu casamento, na noite de núpcias, ela perdesse a sua virgindade (e sangrasse, e aí se não sangrasse…), e assim por diante, para poder exercer o seu lado esposa, ou seja, manter relações sexuais com seu marido.

Hoje esse assunto pode variar conforme o público. A virgindade pode ou não ser defendida de acordo com princípios machistas, religiosos, culturais, sociais, etc. Cada um irá tentar mostrar que o que pensa é o correto, sendo que na grande verdade não há certo ou errado, mas sim os valores de cada um, e isso sempre poderá causar debates calorosos.

Eu não sei e você sabia, mas aquela “pele” que bloqueia a entrada da vagina, mais conhecida como hímen, tem uma única e importante função, proteger as meninas durante a infância dos riscos das infecções genitais, e nada mais! Se o homem ao longo da sua história se utilizou dessa “pelinha” para criar um outro tabu, já é uma outra coisa, ok? Não tem nada a ver se a mulher é mais ou menos digna, se ela deve ou não ser mais valorizada por ser virgem. Tanto que o hímen é mais espesso na infância, e vai se tornando mais fino, conforme vai se aproximando a puberdade da menina, ou seja, o corpo já está se preparando para que a menina (que está se transformado em mulher) possa reproduzir, e para isso ela precisa ter relações sexuais, e nada mais natural que o hímen fique mais fácil de se romper, na primeira relação que ela tiver. Existem algum problema nisso?

Então, mulheres que se culpam pela perda do hímen, se libertem dessa culpa! O fato de vocês perderem a sua virgindade quando tiveram a sua primeira relação sexual, é um fato que é claro que deve ter um importância, mas no sentido de que à partir daquele dia, vocês começaram a criar a possibilidade de sentir prazer em mais uma parte do seu corpo, digo isso pois caso vocês não saibam, muitas mulheres antes de se casarem, devido ao tabu da perda da virgindade “vaginal”, praticavam o sexo anal com o intuito de poderem transar com seus parceiros, e ao mesmo tempo se preservarem para os seus futuros “príncipes”. Pode parecer um absurdo isso, mas isso aconteceu muito, principalmente antes de inventarem a pílula anticoncepcional, pelo medo que tinham de engravidar. Quantas meninas ainda hoje não fazem isso?? Sexo anal e oral em seus namorados, mas não o vaginal? E me digam, essas meninas são virgens? Só se forem da vagina mesmo!

Isso não significa que não se deve ter um critério para ter a sua primeira relação, e sair transando por aí. Independente se for a primeira vez ou não, devemos nos valorizar, e se valorizar não tem nada a ver com dinheiro (por favor!), mas sim se sentir amada, querida pelo seu parceiro, para que seja uma primeira vez digna de boas lembranças, com muito romantismo, carícias e paixão. E não como ouço geralmente no consultório, que foi tudo muito rápido, sem lubrificação adequada (principalmente), que mal tiveram prazer, e que quando a “coisa tava ficando boa”, o namorado gozou…

Foi-se o tempo em que a primeira vez era algo desconhecido, hoje o acesso às informações está tremendamente facilitada. Então meninas e meninos, que ainda não tiveram a sua primeira relação sexual, se informem! Exijam dos seus futuros parceiros e parceiras (além de vocês mesmos), que a primeira vez seja da melhor maneira possível, isso sim é valorizar esse momento de suas vidas. Querem ter essa experiência? Então que façam bem feito, e aproveitem!

Abraços e ótima semana!!

O prazer das mulheres

(Paulo Jacob)

mulher

Você conhece o seu corpo? Tenho certeza que sim! Pernas, braços, mãos, pés… assim por diante.

E vocês mulheres? Conhecem o seu órgão genital? Isso mesmo, a sua vagina, conhece-a? Mas conhece mesmo, ou acha que conhece? Já olhou, viu com um espelho para enxergar melhor? Uretra, clitóris, etc… Pode parecer um absurdo o que estou escrevendo, mas muitas mulheres não conhecem o seu órgão genital.

E isso ocorre geralmente devido a uma educação repressora por parte dos educadores que estas mulheres tiveram na infância. Para a menina, tocar na sua vagina é algo que os pais e avós (parentes em geral) condenam veementemente, com o tradicional “tira a mão daí, menina!”, isso quando não dão um tapinha na mão dela afirmando que isso é errado ou até pecado. Já no caso dos homens, a situação é bem diferente. O menino pode e é incentivado a ficar mostrando para todos que ele tem um pênis, que é homem, que tem saco roxo, etc…

Da mesma maneira que para o menino é gostoso ter a sensação de mexer no seu “pipi”, para a menina também é gostoso se tocar e, em ambos os casos, algo normal e sadio, pois assim estão começando a se conhecer!

Aconselhar o menino e a menina que isso pode ser feito, porém quando se está sozinho, é um bom conselho, ao invés de incentivar meninos a ficarem se expondo gratuitamente e punir as meninas por sentirem prazer. É por isso que grande parte das mulheres tem um bloqueio muito grande em se tocar, a ter orgasmos e assim por diante. Grande parte das mulheres não sabe o que é orgasmo e outra grande parte delas, só consegue ter o orgasmo através da estimulação mecânica, ou seja, pela masturbação (seja com ou sem a penetração).

Independente de ser um pensamento religioso ou não, grande parte das mulheres inconscientemente acredita que ter prazer é pecado. Se Deus (seja ele qual for), criou tudo que nos rodeia, incluindo a raça humana (o que significa também o pênis e a vagina), porque um pode ter prazer e o outro não, se ambos os órgãos sexuais possibilitam isso, além da função de reprodução?

As mulheres são muito mais orgásticas do que os homens, se tivessem uma noção do potencial que possuem, em relação as várias formas de se atingir um orgasmo, certamente seriam muito mais felizes e vários problemas psicológicos não existiriam tanto como ocorrem hoje, na verdade tanto quanto ocorrem há séculos…

Então, se informe mais, leia livros sobre o assunto, faça terapia, ou seja, procure sair desse padrão que a sociedade criou. Não tenha medo, ou vergonha de descobrir o seu órgão genital. Se toque, olhe, descubra! Somente assim poderá começar a usufruir de algo que é natural da raça humana. Acredito que a partir do momento que se conhecer melhor, a sua vida sexual irá melhorar… e muito!

Um abraço e ótima semana!